Futebol & Samba

Árbitro Sambista

 

Futebol

Natural do bairro de Inhaúma, no Rio de Janeiro, Marcus Pacote foi criado em um condomínio com 13 blocos, onde organizavam torneios de futebol.

Em 2010, faltou árbitro durante os jogos, e um amigo de Pacote, Alexandre, o convidou para ajudar a apitar. No início ele recusou, mas conforme o jogo corria, começou a gostar. No segundo jogo, se sentia o melhor árbitro do mundo. O amigo então o incentivou a fazer o curso de árbitro de futsal.

Marcus Pacote relatou que, ainda criança, jogou no Bonsucesso, Vasco, Americano, Goytacazes, Mesquita, entre outros. Também contou que se via como jogador, mas não era feliz.

Em 2011, Marcus fez o curso na instituição Rio Futsal, e apaixonou. No final de 2011 fez o curso pela Federação de Futsal do Rio de Janeiro.

No ano de 2014, surgiu uma nova modalidade, o Fut-7 (Futebol de 7). Campo sintético, tamanho reduzido, 6 jogadores na linha e 1 no gol, e assim nasceu outra paixão de Pacote.

No primeiro ano, foi escalado para apitar as quartas de final, oitavas de final, semifinal e a final entre Flamengo x Rio de Janeiro. Em 2017, teve uma convocação pela CF7B (Confederação Brasileira de Futebol 7).

Marcus conta que os melhores anos de arbitragem foram entre 2019 e 2020, neste período fez as duas finais do campeonato carioca – sendo o melhor árbitro –, na sequência, mais uma convocação para o quadro nacional.

Atualmente, Marcus Pacote continua como árbitro e diretor de arbitragem da Federação de Fut7 do Estado do Rio de Janeiro e árbitro da Confederação Brasileira de Futebol Society.

 

Samba

O samba entrou na vida de Marcus Pacote através da esposa, Claudia, em 2008. Apaixonada pela escola de samba Vila Isabel, Claudia convenceu Pacote a desfilar. Na época, os ensaios eram as quartas-feiras, sábados e domingos.

A esposa apaixonada e Pacote, apesar de não muito empolgado pela rotina cansativa de ensaiar até tarde e no dia seguinte ter que trabalhar, ficou encantado ao pisar pela primeira vez na Marquês de Sapucaí. Começou então a olhar o samba através de uma ótica diferente.

Começou a desfilar em 2009 e em 2010 veio o convite de honra para Pacote: fazer parte do ‘Departamento de Harmonia da Escola de Samba Unidos de Vila Isabel' como diretor de alas.

Pacote cita nomes do samba que ele tem muita gratidão e conta que aprendeu muito com eles: Décio Bastos, Tadeu Paulista, Alexandre Popó e Evandro Bocão entre outros.

Em 2013, a grande alegria foi vivenciar o título da Vila Isabel, eleita a melhor do carnaval do Rio de Janeiro com o enredo ‘Festa no Arraia’. Nessa ocasião, a esposa de Pacote estava grávida de gêmeos, e o parto seria no dia do desfile, mas aconteceu dois dias depois, presenteando-o com uma menina e um menino.

 

Samba x Arbitragem

Para Marcos Pacote foi muito difícil conciliar o samba e a arbitragem, por se tratar de duas paixões iguais. Com a esposa grávida de gêmeos, ele teve que optar pela arbitragem, por falta de apoio no samba, e teve que renunciar a sua outra paixão. E assim continuou se dedicando a arbitragem, onde obtém grande parte do sustento da família.

Pacote fala sobre ter o dom e amor, e não pensar somente em dinheiro. No futebol, há mais chances de um time ser campeão, com campeonatos mais longos. No samba, há uma única oportunidade de mostrar a garra, a luta e o amor pela escola –e o risco de qualquer deslize, tudo ser jogado fora.

Perguntado sobre seu time de futebol, ele diz que árbitro não tem time, mas que é vascaíno e que a escola de samba do coração é a Portela, ou seja, seu coração é azul e branco rsrs.


Por: Ariane Escobar

Revisão: Ariele Ribeiro

 

 

 

 

 

Categoria:BARRA SPORTS

Deixe seu Comentário